Portal Ituiutaba
Menu
 ESCOLAS 
 GALERIA DE PREFEITOS 
 LEIS 
 ITUIUTABA 
 CULTURA 
 CRÔNICAS 
Endereço
Ituiutaba - MG
(034) 99951-9526
Fale Conosco

Rodolfo Leite de Oliveira

 

9.219 visualizações

 

 

Prefeito 1964

Com a saída do Prefeito José Arcênio de Paula cassado pela chamada Revolução de 1964, assumiu o Vice-Prefeito, Rodolfo Leite de Oliveira, natural de Santo Antônio do Monte - MG, nascido em 28 de dezembro de 1928, filho de Epaminondas Leite de Oliveira e Maria Divina Pereira de Oliveira. Casou-se com Alciene Maria Ribeiro Leite de Oliveira, escritora, com quem teve três filhos: Marcelo, Aurélio e Ludmila. Sua infância foi na cidade natal, até os dois anos de idade e, depois, mudou-se com a família para Ituiutaba.Sua vida escolar iniciou-se na Escola Menino Jesus de Praga, continuando no Colégio Santa Teresa, Instituto “Marden”, Colégio Arnaldo de Belo Horizonte e bacharel na Faculdade de Direito da UFMG, em Belo Horizonte.

O seu interesse pela política nasceu em reuniões com os colegas estudantes, preocupados com o deficiente abastecimento de energia elétrica em Ituiutaba.

Participou da organização da União Estudantil de Ituiutaba, com representação em Belo Horizonte e São Paulo, formada por jovens ituiutabanos que faziam cursos superiores fora de nossa cidade e, também, fez política estudantil na Faculdade de Direito.

Filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro – PTB, de Ituiutaba, quando estudante universitário, logo após a morte do Presidente Getúlio Vargas, tendo sido candidato a vereador. Com a extinção do PTB, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro – MDB, sendo o responsável por sua fundação em Ituiutaba e no Pontal do Triângulo Mineiro e com a extinção do mesmo, ingressou-se nas fileiras do PMDB sucedâneo do MDB, articulado desta feita pelos vereadores Hairton Dias (egresso do PTB) e Helis Ferreira da Silva.

Nas eleições municipais de 1962 foram eleitos: Prefeito de Ituiutaba: José Arcênio e Vice-Prefeito Rodolfo Leite de Oliveira. Conforme a legislação eleitoral da época, não havia vinculação entre dois cargos, sendo que o titular e o vice eram votados separados, através de cédulas individuais. Naquela eleição, José Arcênio e Rodolfo Leite concorreram sob a sigla do Partido Trabalhista Brasileiro – PTB, cujos maiores líderes nacionais eram os Presidentes Getúlio Vargas e João Goulart (Jango).

O prefeito José Arcênio de Paula assumiu o Governo Municipal em 1963, mas no começo de 1964, foi cassado, quando estava de licença para tratamento de saúde. Então, o Vice-Prefeito Rodolfo Leite de Oliveira foi empossado no cargo de prefeito. O novo dirigente prosseguiu as diretrizes modernizadoras, que vinham caracterizando a administração do então prefeito José Arcênio.

Enquanto Rodolfo Leite de Oliveira estava à frente dos destinos de Ituiutaba, aconteceu o Golpe Militar de 31 de março de 1964. As forças Armadas assumiram arbitrariamente o Poder Público Federal suprimindo todas as garantias constitucionais dos brasileiros e fecharam o Congresso Nacional.

Os reflexos do Golpe Militar de 31 de março de 1964 logo alcançaram os municípios, em todo território nacional, em especial os administrados por partidos da simpatia do Presidente deposto, João Goulart.

Apresentou-se em Ituiutaba, um Comando Revolucionário composto por membros do Exército Brasileiro aquartelados na cidade de Uberlândia e de um Promotor de Justiça.

Aquelas autoridades compareceram ao gabinete do Prefeito Rodolfo Leite de Oliveira, comunicando estarem na cidade para apurar denúncias de subversão e corrupção. Comunicaram já ter efetuado prisão dos vereadores Diógenes de Sousa, Satipo e Sebastião Luiz Mamede, bem como do assessor do Prefeito, o senhor Antônio Ferreira; todos citados estavam presos na Cadeia Pública da cidade e o Prefeito licenciado, José Arcênio, encontrava-se detido na Casa de Saúde Santa Cecília, onde fazia tratamento.

O prefeito Rodolfo Leite, disse àquelas autoridades estranhar as acusações, pois desconhecia quaisquer irregularidades na prefeitura. Mas não criou obstáculos à investigação, objeto da visita do tal Comando Revolucionário. Assim, convocou todos os Chefes dos diversos Departamentos da prefeitura ao seu gabinete e determinou que atendessem de pronto, às solicitações das autoridades militares.

Entretanto, logo ficou claro, as verdadeira intenções do Comando Revolucionário, que era destituir o Prefeito, Vice Prefeito e os Vereadores do Partido Trabalhista Brasileiro. A ordem era substituí-los por forças políticas mais simpáticas aos militares. Todos deveriam renunciar aos cargos a que foram eleitos.

Criou-se um clima de tensão propicio a enfraquecer os ânimos, que estendeu-se aos familiares dos vereadores e secretário  presos. Corriam boatos de que todos seriam transferidos para prisões distantes de Ituiutaba, o que redundou em desespero nos lares atingidos.

Tudo isso indicou o caminho para negociar e resolver a situação aflitiva.

Novamente, o Prefeito Rodolfo Leite de Oliveira recebeu em seu Gabinete os membros do Comando Revolucionário para decisões que mudariam os rumos da História Política de Ituiutaba: Prefeito, Vice Prefeito e Vereadores do PTB renunciaram aos cargos para os quais foram eleitos pelo povo. Porém, com as seguintes condições inarredáveis do Prefeito Rodolfo Leite:

      1 – Imediata libertação do Prefeito titular José Arcênio de Paula, do assessor Antônio Ferreira e dos Vereadores Sebastião Luz Mamede, Satipo e Diógenes de Sousa.

      2 – Continuidade do Inquérito Policial Militar já instalado para a apuração de denúncias de subversão.

      3 – Prosseguimento das medidas judiciais para esclarecer a denúncia de que haveria corrupção no Governo Municipal.

Todas as condições foram aceitas pelo Comando Revolucionário e os presos libertados.

Posteriormente, o Inquérito Policial Militar, que apurava atos de subversão, foi arquivado por falta de provas. E as medidas judiciais não constataram nenhum indicio de corrupção na Administração Municipal.

Os principais documentos sobre esses fatos encontram-se nos anais da Câmara Municipal e do Fórum de Ituiutaba; na Região Militar do Exército, em Juiz de Fora – MG e no Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Minas Gerais.

Neste período da administração do Prefeito José Arcênio de Paula e Rodolfo Leite de Oliveira, a cidade de Ituiutaba possuía uma infra-estrutura deficiente, com escassa iluminação pública, água suja e sem tratamento, pouquíssimas ruas pavimentadas e quase nenhuma captação de esgoto sanitário.

Porém, com preocupações ambientais e visando melhor qualidade de vida para a população, Rodolfo iniciou a construção da Praça 16 de Setembro (hoje, Praça Presidente Tancredo Neves), no Bairro Progresso, tão carente de áreas verdes. A educação foi também objeto de cuidados do Prefeito Rodolfo Leite de Oliveira que, no curto espaço de sua administração, construiu algumas escolas rurais. Atento à questão viária, construiu uma ponte sobre o Ribeirão do Douradinho, que possibilitou o intercâmbio da produção rural entre os municípios de Prata e Ituiutaba.

Rodolfo Leite de Oliveira foi o Prefeito que iniciou em Ituiutaba, o recapeamento asfáltico de vias públicas, beneficiando um trecho de terra da Avenida 15, desde a Rua 28 até a Rua 36.

Prosseguiu com medidas concretas, já iniciadas, para a implantação do novo sistema de abastecimento de água de Ituiutaba, captada do Ribeirão São Lourenço.

Em 14 de novembro de 1963, a Câmara Municipal reuniu para encontrar uma alternativa contra o comando fiscal de Minas Gerais que arrochava os comerciantes tijucanos com os impostos. Nesta época, a cidade atravessava um período de falta de chuvas que sacrificou as lavouras e o comércio local.

Ituiutaba liderava a economia da região formada principalmente, pelos municípios de Capinópolis, Cachoeira Dourada, Ipiaçu, Santa Vitória e Gurinhatã, cujas atividades agropecuárias eram intensas. Nesta ocasião, Ituiutaba continuava conhecida como Capital do Arroz, com mais de 30 indústrias de beneficiamento do cereal. Em virtude da produção rural, instalaram-se fábricas de manteiga, de banha, frigoríficos para abate de bovinos e suínos. E a industrialização de óleo vegetal.

Tudo isso ocasionou um grande movimento comercial, gerando intercâmbio direto entre empresas locais e as da capital de São Paulo.

A vida social da cidade era intensa, já que possuía dois clubes: O Ituiutaba Clube e o Palmeira Clube, onde realizavam-se festas e bailes muito concorridos: nas ocasiões mais solenes como “Réveillon” e aniversário da cidade, obrigava-se o uso de traje a rigor para homens e mulheres. Além dos clubes, o local mais freqüentado era o Cine Ituiutaba, onde exigia-se paletó e gravata para o ingresso de homens nas duas sessões dominicais, noturnas. Ituiutaba possuía uma Praça de Esportes no Ituiutaba Clube, no Bairro Independência, aonde diversificavam as atividades de lazer, voltadas também para as práticas esportivas.

A natação e vôlei atraiam interesse maior dos associados.

Com o término de sua gestão como Prefeito em Ituiutaba, Rodolfo Leite de Oliveira prosseguiu sua vida política tendo sido eleito Deputado Estadual por Minas Gerais, ocupou também os seguintes cargos na Capital Mineira BH: Secretário Adjunto de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Minas Gerais; Diretor Administrativo da Companhia de Armazéns e Silos do Estado de Minas Gerais – CASEMG; Diretor Administrativo e Financeiro da Fundação Ezequiel Dias – FUNED-MG; e Gerente Regional da Companhia de Financiamento da Produção do Ministério da Agricultura – CFP.

Rodolfo Leite de Oliveira, mesmo tendo sido prefeito por pouco tempo, deixa seu nome registrado na história deste município, por ter se revelado um excelente administrador e por sua coragem e destemor, diante das adversidades e injunções da qual ele e seus companheiros de partido PTB foram vítimas nesta cidade, pela qual ele sempre lutou.  

 

 

Pesquisa simples
  Digite a palavra:

 
Escolha o departamento:
Receber boletins
Digite seu nome:
Digite seu e-mail: